• Novo estudo usará headsets de realidade virtual para identificar indivíduos em risco de doença de Alzheimer


    Um novo estudo a ser conduzido por um neurocientista da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, utilizará fones de realidade virtual para identificar indivíduos que possam estar em risco de desenvolver a doença de Alzheimer, de acordo com um recente relatório online do The Observer. 

    Para o seu estudo, Dennis Chan, PhD, e colegas recrutaram 300 pessoas entre as idades de 40 e 60 anos. Os participantes - que carregam um gene que os coloca em risco, têm histórico familiar de Alzheimer ou não possuem nenhum dos dois - usarão um fone de ouvido de realidade virtual e serão solicitados a navegar em determinados ambientes virtuais e então se lembrarão das etapas. 

    Chan, cuja pesquisa anterior identificou a perda de habilidades de navegação como algumas das primeiras indicações da doença de Alzheimer, espera que sua equipe seja capaz de identificar sinais precoces da doença, a fim de fornecer tratamento e cuidados antes que a doença progrida.  

    "Vamos tomar nota daqueles que têm problemas específicos e ver se esses são os que estão em maior risco de desenvolver a doença de Alzheimer", disse Chan ao The Observer. “O objetivo do estudo é muito simples: podemos detectar mudanças na função cerebral antes que as pessoas estejam cientes de que as têm?” 

    Veja o artigo inteiro do Observer abaixo. 

    Por Melissa Rohman | Edição Local: Willen Moura
  • Fale conosco

    Para entrar em contato com o Humaniza Mundo envie-nos e-mail para: humanizamundo@gmail.com ou clique ao lado para obter informações e suporte.